Sindicato não vai mais negociar com empresa terceirizada e ameaça protestar na sede da Prefeitura nesta terça caso uma solução não seja apresentada.

Os agentes de limpeza pública de São Luís decretaram greve nesta segunda (24) devido ao descumprimento de um acordo trabalhista. A paralisação é por tempo indeterminado e foi acolhida por todos os trabalhadores, sendo eles um total de 1.180 servidores.

A classe reivindica o pagamento de uma diferença salarial referente a três meses do ano de 2021. O total seria aproximadamente R$ 300, somando o valor referente ao tíquete-alimentação. Os salários seguem sendo pagos a cada mês normalmente. Segundo informações do presidente do Sindicato de Asseio e Conservação (Seac), Maxwell Bezerra, já ocorreram três promessas de pagamento da diferença pela São Luís Engenharia Ambiental, mas nenhuma foi cumprida.

Por conta disso, o sindicato não vai mais tratar com a empresa responsável pelo serviço de limpeza pública e sim com a gestão municipal, ameaçando protestar na sede da Prefeitura da capital nesta terça (25) caso uma solução não seja apresentada ainda hoje. A pressão deve ser maior quando o lixo começar a se acumular nas ruas e avenidas da cidade.

Dessa forma, os resíduos sólidos quando são dispostos de forma inadequada às margens de logradouros públicos, vazios urbanos, fundos de vale e cursos d’água, acabam ocasionando diversos impactos ambientais negativos.