Em um espaço de 7 dias foram registradas duas chacinas no interior maranhense. Caos na Segurança Pública fez com que prática criminosa crescesse absurdamente nos últimos anos.

Entre 3 e 9 de dezembro foram registradas duas chacinas no interior do Maranhão. As tragédias reforçam a falência do sistema de segurança pública do estado após sete anos de governo comunista. A polícia suspeita que os dois crimes tenham relações com o tráfico de drogas, que avançou no interior assustadoramente nos últimos anos.

No dia 3 quatro homens foram mortos na primeira chacina em uma casa no município de Lago da Pedra. Um grupo formado por cinco assassinos não identificados invadiram a casa em que estavam as vítimas e atiraram várias vezes contra os quatro homens. Na casa em que os quatro homens foram assassinados, os policiais encontraram papelotes com drogas, cadernos com anotações de lucros e materiais utilizados na venda de entorpecentes.

Ontem (08) três homens foram metralhados no trecho da BR-222 que liga as cidades de Vargem Grande e Itapecuru-Mirim. O veículo foi trancado e dezenas de disparos foram realizados contra os ocupantes. Entre as vítimas estava um professor da Universidade Federal do Maranhão. Um dos passageiros chegou a abandonar do veículo e fugir, mas foi alvejado com diversos tiros durante a fuga e morrer. Moradores do entorno acreditam que os três foram confundidos por uma facção criminosa e acabaram sendo mortos por engano.