Nelsinho Piquet protagonizou o maior escândalo de trapaça da Fórmula 1 na história. A fraude ajudou indiretamente na perda do título por Felipe Massa em 2008. Banido do esporte, Nelsinho também já foi acusado de poluir Lençóis Maranhenses

Por inciativa do deputado estadual Duarte Jr (PSB) a Assembleia Legislativa do Maranhão concedeu o título de cidadão maranhense ao ex-piloto Nelsinho Piquet. O “homenageado” foi protagonista do maior escândalo da história da Fórmula 1.

Nelsinho Nelson Ângelo Piquet, conhecido como Nelsinho Piquet, foi condecorado pela Assembleia Legislativa do Maranhão, em sessão solene realizada na última sexta (17), com o título de ‘Cidadão Maranhense’. A homenagem foi outorgada por meio do Projeto de Resolução Legislativa 21/2021, de autoria do deputado Duarte Jr.

Nelsinho é filho do tricampeão mundial de Fórmula 1, Nelson Pìquet. Contudo, sua fama na categoria é derivada da maior pilantragem em sua história.

INFAME

Em 28 de setembro de 2008 Nelsinho Piquet entrou para a história da Fórmula 1 como um dos maiores patifes do esporte. A corrida marcou a primeira disputa noturna da categoria e marcou a 800ª corrida. No meio da prova, Nelsinho Piquet provocou propositadamente um acidente para tentar roubar o resultado para a sua equipe, a Renault. Os desdobramentos da manobra ajudaram Fernando Alonso, companheiro de Nelsinho, a vencer a corrida.

A canalhice de Nelsinho prejudicou indiretamente o também brasileiro Felipe Massa de ganhar um título mundial. Naquele ano, o piloto disputava o título. Com a entrada do safety car causada pela manobra, a Ferrari teve dificuldades e Massa, que liderou a corrida, sequer pontuou e teve suas chances de título dificultadas pelo compatriota.

A tramoia de Piquet foi tornada pública em 2009 em mais um ato de mau-caratismo do ex-piloto. Por deficiência técnica, Piquet foi demitido em meio às férias da temporada. Como ato de vingança, Nelsinho expôs o escândalo.

O piloto foi poupado de punições por ter delatado o escândalo. Apesar disso, ninguém nunca mais voltou a contratar o trapaceiro traidor e ele hamais voltou à F1.

APRONTANDO NO MARANHÃO

Mas, as peripécias de Piquet não se resumem ao título de maior trapaceiro na F1. No réveillon de 2019, o ex-piloto de F1 foi autuado invadir área não permitida do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Ele e amigos protagonizaram uma espécie de expedição proibida. A autuação foi realizada pelo ICMBio.

Piquet ficou famoso na região ao construir a chamada “Casa Lençóis”. O lugar é uma espécie de resort de luxo particular que fere diversas regras de preservação ambiental. Entre as supostas irregularidades, estão o consumo de bebida alcoólica e a presença de animais de estimação e até de um helicóptero pousado no espaço conhecido – e preservado – pelas grandes dunas de areia branca.

Após o escândalo e exposição nas redes sociais, Piquet apagou várias fotos que evidenciavam o desrespeito às normas ambientais.

Nenhum deputado criticou, lembrou ou questionou a concessão de um título tão importante a alguém tão infame.