Cantor, esposa e produtora eram acusados pelo Ministério Público do Ceará de furarem fila da vacinação. Escritório conseguiu suspender inquérito.

O cantor, sua esposa e produtora eram acusados pelo Ministério Público de furar a fila da vacinação. Safadão foi representado na causa pelo escritório de advocacia Willer Tomaz que conseguiu a suspensão, em caráter liminar, do inquérito. Com a vitória na causa, Willer Tomaz avança como um dos mais influentes e requisitados do país. Após a intervenção do escritório, a investigação foi suspensa em caráter liminar.

A decisão da Justiça do Ceará em aceitar habeas corpus pelo escritório o insere no circuito de defesa de celebridades. Willer Tomaz ficou nacionalmente conhecido na defesa de grandes empresas e políticos em todo o território nacional. Com destaques nas áreas tributária, penal, constitucional, civil e eleitoral.

Nesta semana a desembargadora do Tribunal de Justiça do Ceará, Francisca Adelineide Viana, aceitou habeas corpus impetrado pelo escritório em defesa do cantor. A decisão determinou a suspensão da investigação até que o mérito do caso seja julgado por uma turma de magistrados da 2ª Câmara Criminal do TJ-CE.

Em nota divulgada após a publicação da decisão, o advogado criticou a tentativa do Ministério Público no caso. “A acusação é completamente descabida e falaciosa, pois tenta incriminar um inocente por um fato que nem sequer configura crime, num malabarismo argumentativo que não tem espaço no campo do Direito Penal e que viola frontalmente os direitos fundamentais mais básicos do cidadão, de não ser investigado por fato que não constitui infração penal”.