No melhor cenário a rejeição de Dino chega a 32,3%. Queda na avaliação do governo no ano eleitoral, saída do posto de governador e surgimento de concorrente devem inflar rejeição em 2022

A última pesquisa Econométrica sobre intenções de voto nas eleições maranhenses ligou o sinal vermelho para o governador, e pretenso candidato ao senado, Flávio Dino (PSB). Segundo o levantamento, mesmo sem oponentes e do alto do cargo de governador, Flávio Dino tem o segundo pior índice de rejeição no estado, com 32,3%.

Com a chegada do ano eleitoral e a licença do cargo, Flávio Dino deve sofrer um aumento significativo de sua rejeição. Os sete anos do governo que prometeu revolucionar o Maranhão e irão entrega-lo pior do que recebeu devem pesar na avaliação dos eleitores.

Além disso, o apoio de Flávio Dino entre prefeitos do interior deve diminuir. “Há prefeito do estado que tenta falar com ele há mais de 3 anos e não consegue. Na hora que sair da cadeira, vai perder apoio”, confidenciou uma fonte do Palácio dos Leões.

Além da avaliação ruim do governo, da perda de aliados assim que deixar o cargo, outra candidatura pode interferir na rejeição do governador. Até agora o comunista é candidato único e não sofre qualquer tipo de oposição. Cenário que deve mudar quando surgirem outras candidaturas.