Janela partidária deve arruinar o partido que começa a minguar após população descobrir que tucanos nunca foram de direita

A decadência do PSDB a cada dia se torna mais notória. Antes um dos partidos mais influentes do Brasil ao lado do PT, a sigla passa por uma crise inédita em sua história. O partido já trabalha com a possibilidade encolher na próxima janela partidária.

Membros do comando do partido acreditam que a bancada federal deve encolher de 31 para, até, 21 deputados na próxima janela partidária.

A tragédia partidária é creditada a duas situações: o partido não consegue mais manter a versão enganosa de que se trata de um partido de direita e dificuldades dos deputados para se reelegerem.

Já são dadas como certas as desfiliações de Célio Silveira (GO), Shéridan (RR), Mara Rocha (AC) e Tereza Nelma (AL), de Alagoas. Luiz Carlos, que se licenciou para assumir a Secretaria de Cidades no governo do Amapá, também deve deixar o PSDB. O senador maranhense Roberto Rocha é outro parlamentar que deve sair do partido.

A lei eleitoral possibilita aos parlamentares a troca de partido sem sofrer punições a seis meses para a realização das eleições. A janela dura 30 dias.

Ao contrário dos demais, o maranhense não precisa esperar a janela por ser senador.