Milhares de pessoas participaram espontaneamente de manifestações pela liberdade de expressão, em protesto contra membros do STF e em apoio a Jair Bolsonaro. Adesão popular e comboio veículos com cerca de 15 quilômetros colocam ato no lugar de maior da história da cidade.

As manifestações populares realizadas no 7 de setembro de 2021 foram as maiores da história de São Luís. De forma espontânea milhares de pessoas foram às ruas da capital maranhense para protestar contra membros do Supremo Tribunal Federal, pela liberdade de expressão e em apoio ao presidente Jair Bolsonaro.

Dividida em dois momentos, as manifestações de ontem tiveram a adesão de uma parcela substancial da população maranhense.

A manifestação foi iniciada às 8 horas da manhã na Avenida Daniel de La Touche. Uma hora e meia após o início da concentração, a fila de carros se estendia por toda avenida até o bairro do Ipase em uma extensão de 5 quilômetros.

Por volta das 10 horas da manhã o comboio foi iniciado. Partindo da Avenida Daniel de La Touche em direção à Praça Maria Aragão, passando pela Avenida Litorânea, Holandeses e Marechal Castelo Branco.

Quando o comboio chegou na Praça Maria Aragão, por volta do meio-dia, ainda havia carros saindo da Havan (lugar escolhido para a concentração). Isso significa que a carreata alcançou 15 quilômetros de extensão e passa a ser a maior em participação popular da história.

Concentração na Havan juntou milhares de pessoas em fila quilométrica de veículos

Durante o trajeto e na Praça Maria Aragão não foram registrados nenhum tipo de ocorrência. A presença de crianças e idosos nos atos foi grande. A pluralidade também foi observada na representação de todos os bairros da capital maranhense.

Apesar de anunciada, a manifestação não contou com a preocupação do prefeito Eduardo Braide (Podemos). Não haviam lixeiras e nem guardas de trânsito no lugar. Vale ressaltar que Braide também não fez qualquer menção ao 7 de setembro em suas redes sociais. Fato que gerou certo mal-estar entre os presentes, uma vez que a grande popularidade do prefeito alcançada com a vacinação só foi possível graças ao empenho do governador Jair Bolsonaro em aumentar o número de imunizantes para a capital maranhense após o risco de proliferação da chamada cepa indiana.

Comboio se estendeu por cerca de 15 quilômetros e impressionou.

PODERIA TER SIDO MAIOR

A desorganização e o completo desprezo da Prefeitura de São Luís em relação ao trânsito na Praça Maria Aragão impediram que a participação no comboio tivesse um final ainda mais. A escolha do trajeto pela Avenida Litorânea (que sempre tem trânsito travado em feriados) fez com que as pessoas passassem horas dentro dos carros. Ao chegar na praça, apesar da grande oferta de estacionamentos no entorno, as pessoas ficaram perdidas e muitas delas optaram por desistir e dispersar.

Ao invés de fazerem a opção pelo ordenamento da situação no trânsito para garantir um ajuntamento maior de pessoas na praça, os organizadores preferiram falar quando a fila de veículos ainda estava no seu auge. Resultado: falaram para menos de 10% do povo que participava do ato.

Cinco horas após a partida da Havan ainda foram registrados veículos chegando na Praça Maria Aragão.

Se a organização tivesse optado por uma rota menos travada e tivesse exigido do prefeito Eduardo Braide que não desprezasse o evento e promovesse o ordenamento do trânsito no lugar, além da maior carreata e da maior manifestação popular da história, São Luís também teria visto o maior ajuntamento de pessoas em um ato político de todos os tempos.