Fenômeno econômico tem atingido todo o planeta e não poupa nem as economias mais sólidas

A taxa de inflação homóloga na Alemanha subiu para 3,9% em agosto, segundo dados provisórios da agência federal de estatística alemã (Destatis) divulgados recentemente. A confirmar-se, será o valor mais alto em quase 30 anos.

“A taxa de inflação na Alemanha, medida como a variação homóloga do índice de preços ao consumidor, deverá ser de 3,9% em agosto de 2021”, indica o gabinete estatístico em comunicado.

A verificar-se este valor – que será confirmado em setembro – é o valor mais alto desde dezembro de 1993, quando atingiu 4,3%, como mostram os dados da Destatis, que estão disponíveis a partir de 1991.

Já na variação em cadeia não deverá haver alteração dos preços.

“As razões para o aumento da taxa de inflação são várias, entre as quais se incluem efeitos de base devido aos preços baixos em 2020. Neste contexto, destacam-se a redução temporária do imposto sobre o valor acrescentado [IVA] e a queda acentuada dos preços dos derivados de petróleo até ao o final de 2021 teve um efeito ascendente na taxa de inflação geral”, destaca a agência federal.

Por fim, a Destatis revela que o Índice de Preços no Consumidor harmonizado da Alemanha aumentou 3,4% em agosto face ao mesmo mês do ano anterior, e 0,1% face a julho.