Convicto do momento ruim do prefeito, vereador comunista Paulo Victor debocha de Eduardo Braide em entrevista e vai pavimentando plano para colocar PCdoB na presidência da Câmara Municipal.

A cada dia que passa mais convicto de se tratar da nova encarnação de Flávio Dino, Eduardo Braide deixa a soberba e a arrogância lhe aconselharem e se torna a triste lembrança do que nunca foi. Sabedores disso, seus adversários começam a usar presunção do prefeito contra ele mesmo.

Nesta terça (24), o vereador Paulo Victor (PCdoB) concedeu entrevista em que zombou do prefeito ao apostar publicamente em sua ignorância. Candidato dos comunistas ao cargo de presidente da Câmara Municipal de São Luís, Paulo Victor debochou de Braide ao afirmar que o prefeito não precisa preocupar-se com o PCdoB caso ele conquiste a Presidência da Casa.

“Hoje eu faço parte do PCdoB, nós temos quatro vereadores. Dentro desses quatro vereadores, nenhum é oposição direta ao prefeito Eduardo Braide, isso é fato entre a nossa política interna”, disse Paulo Victor.

A certeza de estar tratando com um pateta é tamanha que Paulo Victor afirmou que o PCdoB não faz oposição a Eduardo Braide. A frase, no mínimo, deve ser encarada como um deboche.

O fato é que Eduardo Braide segue com louvor o caminho do único prefeito de São Luís que não conseguiu reeleger-se nos últimos 40 anos. O saudoso e finado João Castelo foi eleito em 2008 e, após se isolar politicamente, acabou derrotado nas eleições de 2012. Mesmo tendo realizado uma das melhores gestões da cidade, Castelo não aguentou a locomotiva política que foi montada contra ele em 2012. O ex-prefeito a acreditava que isolado em seu grupo pessoal poderia garantir a reeleição, saiu derrotado.

Ironia da história, dois anos antes da derrota de Castelo a então vereadora Rose Salles, do mesmo PCdoB de Paulo Victor, se fazia se morta e dizia que não era oposição ao tucano. Foi uma das mais selvagens opositoras nas eleições de 2012.

Paulo Victor é candidato a presidente da Câmara de Vereadores. Apesar do pleito ser apenas no do ano que vem, o comunista já se movimenta habilmente e vai conquistando espaço. Caso seja eleito, será a primeira vez na história que a Prefeitura de São Luís terá na chefia da casa uma oposição declarada e irredutível.

Situação que não é tão improvável dado o surto de arrogância do prefeito que o empurra para o isolamento.