Obra na capital maranhense se arrasta há 8 anos e custou cerca de R$ 10 milhões por cada quilômetro. Mortes e acidentes são frequentes no lugar e em outras rodvias estaduais. Apesar disso, Flávio Dino pede a Bolsonaro para assumir rodovias federais no Maranhão.

Em obras desde o início do primeiro mandato do comunista Flávio Dino, a MA 203 foi transformada pelo governador em uma verdadeira rodovia da morte. Toda semana são registradas dezenas de acidentes nos mais variados trechos em uma extensão de pouco mais de 5 km. Além disso, a ação do governo desvalorizou a área, forçou o abandono de centenas de moradias e inferniza, até hoje, quem decidiu continuar morando na localidade.

RALO DE DINHEIRO

As obras na MA 203, também conhecida como estrada do Araçagy, havia sido quase concluída na gestão da ex-governadora Roseana Sarney (MDB). Inexplicavelmente, as obras tocadas por Roseana foram desfeitas por Flávio Dino e, inacreditavelmente, retomadas anos depois.

O trecho de 5 km já consumiu mais de R$ 50 milhões aos cofres públicos. Dessa forma, o governador gastou R$ 10 milhões por cada quilômetro na obra.

OBRA GENOCIDA

Apesar do elevado gasto e de levar quase o mandato inteiro para concluir a obra (que talvez ainda seja terminada apenas pelo próximo governador), a MA 203 é atualmente a rodovia mais perigosa do Maranhão.

Os custos não representaram preocupação com o novo desenho do percurso. São inúmeras curvas em funil, trechos confusos e segmentos que funcionam como verdadeiras armadilhas para motoristas, ciclistas e pedestres.

Todas as semanas são registrados inúmeros acidentes por portais de notícias locais. O número de vítimas fatais que já tiveram a vida tirada pela obra milionária e assassina do governador é omitido pelo Governo do Estado.

IRONIA

Além da Rodovia da Morte criada em seu governo, Flávio Dino também acumula fracassos na política de infraestrutura viária do estado. O caso mais emblemático, entre tantos outros, da incompetência do governador na infraestrutura foi uma obra de poucos quilômetros na MA-315 que liga os municípios de Barreirinhas e Paulino Neves.

A obra custou R$ 12 milhões e literalmente desmanchou após dois meses da inauguração. Como de costume, apesar do flagrante desperdício de recursos públicos, o governo não foi responsabilizado pelo desperdício de recursos público.

Mesmo com o histórico de fracassos, o governador Flávio Dino se colocou à disposição do Governo Federal para ajudar na manutenção de estradas federais.