Prefeito de São Luís, que deveria ser o primeiro a defender a geração de emprego e renda na capital, foi o último a sair em defesa da liberdade econômica na cidade. Secretário de Indústria e Comércio cobrou mais ação e menos discurso.

O secretário estadual de Indústria e Comércio, Simplício Araújo (Solidariedade), confrontou comentários do prefeito Eduardo Braide (Podemos) em suas sobre o caso Havan. Após semana de silêncio profundo em relação à polêmica, Braide usou suas redes sociais para saudar a chegada da loja após ataques de grupos de extrema esquerda anti-emprego.

Apesar de ser prefeito de São Luís e, pelo menos teoricamente, o mais interessado na atração e negócios para a cidade, Eduardo Braide foi o último a sair em defesa da Havan contra os ataques de extrema esquerda anti-emprego.

Após a manifestação tardia do prefeito, o secretário Simplício Araújo lembrou que São Luís não que o Plano Diretor e Lei de Zoneamento impedem a instalação de novos negócios. A questão é considerada delicada para a administração municipal pois a Lei de Zoneamento é de 1994 e o Plano Diretor de 2006. Ambos são, segundo especialistas, os maiores entraves para o desenvolvimento econômico de São Luís.

Em contato com o blog, Simplício afirmou que o prefeito deveria agir mais na melhoria da legislação ao invés de “jogar para a platéia”. “É muito fácil posar de defensor da liberdade econômica nas redes sociais enquanto não trabalha na melhoria da legislação que iria garantir mais emprego”, disse Simplício.

Simplício usou as palavras do próprio Eduardo Braide para apontar o erro dos ex-gestores e cobrar postura diferente de Braide. Falharam na modernização do Plano Diretor e da Lei de Zoneamento Jackson Lago, Tadeu Palácio, João Castelo e Edivaldo Holanda Jr.