Comunista prometeu a aliados ser imparcial nas eleições de 2022. Em 2012 a promessa de imparcialidade era apenas jogo de cena. Flávio Dino tenta, mais uma vez, tapear aliados para ganhar tempo.

Em 2012 Flávio Dino prometeu ao ex-prefeito Tadeu Palácio, e para os então deputados federais Eliziane Gama e Edivaldo Jr, que a escolha do candidato ao cargo de prefeito de São Luís seria determinada por pesquisas. Meses depois da promessa, ele fez a opção por Edivaldo Holanda Jr que estava no último lugar entre os três. Passados quase 10 anos após a tapeação, o comunista volta a lançar mão na estratégia. Dino convocou uma grande assembleia com as várias lideranças de seu grupo político em que prometeu “imparcialidade” na escolha do candidato do grupo em 2022.

Após a humilhação nas eleições de 2020 na capital maranhense, Flávio Dino teme que a divisão do grupo motivada por sua arrogância e personalismo lhe imponham uma nova derrota. A guerra fria entre Carlos Brandão e Weverton Rocha, a liderança da ex-governadora Roseana Sarney, a ascensão de Edivaldo Holanda Jr e a sombra de Jair Bolsonaro também preocupam.

Para piorar, Flávio Dino sabe que, ao contrário de 2012 quando gozava de certo prestígio que fatalmente elegeria qualquer um que fosse escolhido por ele, em 2022 ele deixa um governo que fracassou. Após oito anos de comunismo, poucas promessas foram cumpridas e o paraíso prometido nas eleições de 2014 não veio. Flávio Dino precisa de tempo para respirar.

O tom de soberba observado em reuniões anteriores, ontem deu lugar a um Flávio Dino humilde, conciliador e “democrata”. O governador chegou a afirmar que pretende ser “imparcial”.

Acontece que o desejo de reservar o governo do Maranhão para as eleições de 2026 é o principal agente de desagregação no grupo de Flávio Dino. A reunião foi uma cortina de fumaça e nada mais que isso.

A imparcialidade de Flávio Dino não existe porque nenhum ser humano é capaz de ser imparcial quando o assunto é si mesmo. E todo movimento político do governador diz respeito a ele mesmo. Imparcial? Tem gente que acredita…