Embora vacinação no país asiático não seja obrigatória, Rodrigo Duterte ameaça prender quem recusar imunizante contra o novo coronavírus

Em pronunciamento na TV nesta segunda-feira, Rodrigo Duterte, o presidente das Filipinas, ameaçou prender cidadãos que se recusarem a tomar a vacina contra a o novo coronavírus no país.

As Filipinas constatam baixo comparecimento em pontos de imunização, inclusive na capital Manila. A meta do Ministério da Saúde é imunizar até 70 milhões de habitantes, de uma população com cerca de 110 milhões, até o final deste ano.

“Você escolhe: vacina ou vai preso […] Não me interpretem mal, há uma crise neste país. Estou exasperado com o fato de os filipinos não atenderem ao governo”, declarou o mandatário.

O governo filipino registra mais de 1,2 milhão de casos e cerca de 23 mil óbitos em decorrência da Covid-19. A vacina mais aplicada é a CoronaVac.