De acordo com relatos dos policiais, foi dada a oportunidade para Lázaro Barbosa se entregar, mas ele teria continuado a atirar

Policiais de Goiás prestaram depoimentos sobre a morte de Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos. Conforme depoimentos, o assassino e estuprador recebeu cerca de 125 tiros nesta segunda-feira (28).

“[…] nos vimos alvos de diversos disparos de arma de fogo, a princípio sem saber precisar de onde vinham. Após nos abrigarmos, foi possível identificar que de dentro de uma espécie de arbusto bem fechado, era de onde vinham os disparos, incessantemente […] foi de imediato verbalizado que ele soltasse a arma e se entregasse, porém, os disparos não cessavam. Não se teve outra alternativa que não o revide armado. Foi uma intensa troca de tiros, devido à dificuldade de ver com precisão onde estava o indivíduo dentro do arbusto”, diz o relato.

Logo em seguida, assim que os disparos cessaram, os policiais se aproximaram de maneira cautelosa e, próximo ao arbusto, viram o assassino e uma mochila. Imediatamente acionaram socorro. Lázaro foi morto com pelo menos 38 disparos. O conteúdo localizado com o estuprados releva que ele estava preparado para ficar mais dias escondido.

“Ao nos aproximar mais, vimos duas armas de fogo, uma do tipo pistola, que parou aberta com todas as munições deflagradas, e um revólver calibre .38 com 6 munições deflagradas […] Quando ele chegou [ao hospital], já estava sem vida. Nós contamos 38 marcas de tiro. É um cálculo aproximado ainda”, informaram.

Foram encontradas na mochila uma faca de cabo verde, carregador de pistola, liga de boracha, coldre de arma de fogo, diversas monuções, fita plástica, balaclava, isqueiro, frasco branco com comprimidos, analgésico, tempero pronto, bolachas, luva de pano, frasco branco com óleo, antibiótico, macarrão instantâneo, cebola e R$ 4,4 mil em espécie.

Os depoimentos foram prestados em Registro de Atendimento Integrado, tanto pela Secretaria de Segurança Pública de Goiás, quanto por Rui Borges, secretário de Saúde do município.