Pessoas que vivem na Praça Maria Aragão, em São Luís, denunciaram vandalismo e tráfico/apologia às drogas por manifestantes anti-Bolsonaro na manhã deste sábado

Moradores em situação de rua reclamaram da ação de militantes do PT durante o ato contra Jair Bolsonaro na Praça Maria Aragão. Segundo eles, os manifestantes petistas deixaram a Praça Maria Aragão suja e chegaram a oferecer drogas. As denúncias foram feitas durante transmissão ao vivo realizada pelo empresário Wilkson Araújo.

“Foi esse pessoal do PT, PCdoB, CUT e MST que deixaram a praça toda suja”, disse um dos moradores.

Na manhã deste sábado o empresário acompanhou a manifestação e, segundo ele, ficou incomodado com a situação dos moradores. Após o ato, Wilkson montou kits de higiene pessoal e alimentos para distribuir para os moradores de rua.

Segundo o empresário, ele ficou incomodado com o desprezo pelos moradores de rua por parte dos manifestantes. “Era como se essas pessoas nem existissem para eles. Isso me deixou muito chateado e fui conversar com os moradores de rua que eu não sabia que se abrigavam na praça”.

Durante conversa com os moradores de rua, o empresário foi requisitado a ajuda-los com doações. “Voltei para casa, fiz uns bandecos e uns kits de higiene e levei para eles”, explicou.

Durante a doação, o empresário conversou com o grupo de moradores de rua que narraram detalhes da passagem dos manifestantes anti-Bolsonaro pela praça.   

“Pessoal do PCdoB, do PT e do PSOL estava oferecendo maconha para nós fumar. Nós tentando se livrar das drogas e eles oferecendo maconha para nós”, disse.

No vídeo eles também relatam que frutas doadas por comerciantes da Ceasa foram jogadas no mar pelos manifestantes. A manifestação contra Bolsonaro foi convocada pelo PT em todo o país na manhã deste sábado.