Governador Flávio Dino recebeu críticas do presidente pelo cenário do Maranhão ser o segundo Estado mais pobre do Brasil devido à sua gestão comunista

O presidente da República, Jair Bolsonaro, mencionou Flávio Dino (PCdoB), governador do Maranhão, durante transmissão ao vivo em suas redes sociais, diretamente da cidade de Imperatriz, no interior do Estado, nesta quinta-feira (20).

Em live, após citar filho do senador Renan Calheiros, Bolsonaro chamou o governador do Maranhão de “comunista gordo”, disse que Flávio Dino havia defendido antes o uso da cloroquina e apontou que o Maranhão é o segundo Estado mais pobre do Brasil, atribuindo os motivos à gestão do presente e do passado.

“Vi o vídeo que o senador lá de Rondônia Marcos Rogério colocou, onde vários governadores entre eles o próprio filho do Renan [Calheiros]; o outro filho do Jader [Barbalho], do Pará – o do Renan é de Alagoas; o comunistão, o comunista gordo – só no Brasil, né –, o comunista gordo Flávio Dino falou da cloroquina […] Não quer dizer que os gordos aqui sejam de esquerda não, tá? Estou vendo uns barrigudos aqui, não é de esquerda, não“, afirmou.

A fala inicial do presidente ocorreu mediante exibição de um vídeo durante CPI da Covid ocorrida nesta quinta-feira no qual o senador Marcos Rogério (DEM-RO) mostrou governadores afirmando suas orientações para a utilização da cloroquina e hidroxicloroquina. Apareceram na gravação os governadores Flávio Dino, Helder Barbalho (MDB-PA) e Wellington Dias (PT-PI).

Na oportunidade, o presidente afirmou que o Estado comandado por Flávio Dino é um dos que mais receberam recursos do auxílio emergencial pagos proporcionalmente pela União, alegou a intenção de federalizar a MA-006 (rodovia entre Balsas e Alto Parnaíba) e que Flávio Dino rejeitou o processo que já estava tramitando desde o ano passado. “Parece que o governador não está interessado nisso, ele quer continuar deixando o povo em uma situação complicada como vive aqui“, disse Jair Bolsonaro.

O governador Flávio Dino se pronunciou afirmando que o Maranhão “tem a menor taxa de mortalidade por coronavírus do Brasil” já que não segue “fake news e loucuras”. Nesta sexta-feira (20), Bolsonaro estará em Açailândia para a entrega de títulos de propriedade rural.