Brasil lidera com cinco empresas integrando o top 10 da América Latina, entre elas a Petrobras, Itaú Unibanco, a Ambev e o Bradesco

De acordo com levantamento feito pela consultoria Economática, nesta terça (27), a mineradora Vale fechou o pregão da B3 (Bolsa de valores oficial do Brasil sediada na cidade de São Paulo) ultrapassando a marca de US$ 100 bilhões em valor de mercado, avaliada em US$ 103,8 bilhões.

A empresa vale mais de US$ 20 bilhões comparada ao Mercado Livre, companhia argentina. Desde que superou a gigante do e-commerce, a mineradora não para de ampliar sua posição em relação a suas concorrentes na região, valendo quase o dobro da Petrobras, conforme a consultoria. Além disso, mostra clara recuperação sofrida há dois anos após tragédia de Brumadinho, em Minas Gerais.

O top 3 da América Latina é completado pela segunda colocada Mercado Livre, avaliada em US$ 80 bilhões, e a varejista americana Wal-Mart, que vale US$ 56 bilhões, segundo a Economática. O Brasil lidera com cinco empresas integrando o top 10 da América Latina, entre elas a Petrobras (US$ 56,9 bilhões), Itaú Unibanco (US$ 45,9 bilhões), a Ambev (US$ 44,2 bilhões) e o Bradesco (US$ 39,1 bilhões). O segundo país com mais empresas na lista das mais valiosas da América Latina é o México, com duas companhias. Em seguida das Bermudas e da Argentina, com uma cada.

A indústria catarinense Weg (13.º lugar, com US$ 28,7 bilhões) e a varejista Magazine Luiza (15.ª colocação, com US$ 25,7 bilhões) são companhias brasileiras emergentes que tiveram forte valorização na B3.