Hashtag “Mamata Connection” alcançou mais de 370 mil menções no Twitter, causando repercussão negativa ao programa da TV Cultura

Contratos disponíveis no site de editais da Fundação Padre Anchieta mostram que o programa “Manhattan Connection”, adquirido no fim do ano de 2020 pela TV Cultura — emissora da Fundação Padre Anchieta, pertencente ao Governo do Estado de São Paulo — custam oito milhões e sessenta e quatro mil reais.

Este valor, pago com impostos dos cidadãos paulistas, não é a única coisa que chama atenção na relação entre a TV Cultura e o programa ligado ao sócio do blog “O Antagonista”, Diogo Mainardi, este que divide afetos tanto com João Doria, quanto Sérgio Moro. De acordo com o contrato, o programa é representado pela Blend Negócios Divulgação e Editoração Ltda, empresa criada um dia antes do acordo entre as duas partes ser firmado, em 28 de dezembro. O capital social da empresa é divergente em relação ao tamanho do negócio firmado, pois, segundo informações do TV Pop, a Blend informa ter em seus cofres apenas R$ 10 mil reais.

“Se os patrocinadores privados desistissem de anunciar no programa, ele acabaria no dia seguinte, porque a TV Cultura não é responsável por seu financiamento, nem pelo pagamento dos salários de seus apresentadores”, disse Diogo Mainardi em artigo publicado no blog “O Antagonista”, alegando que o Manhattan Connection é totalmente financiado por patrocinadores privados, todos eles captados pela Blend, depositando o dinheiro do patrocínio na TV Cultura, que repassa uma parte para a Blend. Entretanto, a hashtag “Mamata Connection” já possui mais de 370 mil menções no Twitter, demonstrando que a explicação não foi muito convincente.