O prefeito da capital de Minas Gerais, Alexandre Kalil (PSD), contrariou liminar do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Nunes Marques, ao determinar que missas e cultos continuam proibidos em BH. A decisão do ministro deve ser analisada pelo plenário do STF, entretanto a data para o julgamento ainda não foi definida.