Anvisa não atestou a segurança e eficácia da vacina Sputnik por ausência de dados suficientes

O governador do Estado do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), demonstrou interesse em adquirir a vacina russa Sputnik V mesmo sem o devido posicionamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Dino já havia ingressado no STF para pedir que a Agência se posicionasse sobre o imunizante russo e o ministro Ricardo Lewandowski atendeu o pedido estabelecendo prazo até o fim de abril para o devido posicionamento. A Anvisa não atestou a segurança e eficácia da vacina Sputnik por ausência de dados suficientes e, por conta disso, solicitou ao Supremo Tribunal Federal um prazo maior para emitir seu posicionamento, alegando que não ter tido acesso para realizar a análise da vacina russa.

Mesmo com a Anvisa não autorizando a utilização da Sputnik V no Brasil, inclusive no Maranhão, Flávio Dino insiste no imunizante. “Governo Federal quer ainda mais prazo para analisar a vacina Sputnik, largamente empregada em vários países, inclusive a vizinha Argentina […] basta examinar as informações técnicas da Argentina”, disse o governador do Estado.