Presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão pregou aquilo que todo político do estado deveria seguir: a hora é de enfrentar o coronavírus, não de fazer campanha para 2022.

Enquanto 99% da classe política não consegue entrar no sono mais profundo sem pensar nas eleições de 2022, o presidente da Assembleia, Othelino Neto (PCdoB), rema na direção contrária. Para ele, o momento é de manter esforços voltados para a luta contra a Covid-19.

Em um estado em que o governador não faz absolutamente NADA sem pensar na eleição vindoura, as declarações do presidente do Legislativo Estadual soam como um sopro de racionalidade.

O fato é: a classe política maranhense está completamente desunida na luta contra essa pandemia. O governador Flávio Dino, que tanto cobra liderança de Jair Bolsonaro, não lidera nem mesmo sua equipe. E os conflitos entre o que diz Dino no Twitter e o que prega Carlos Lula, o secretário de saúde, na televisão provam isso.

O Maranhão não tem um líder nessa pandemia porque o governador está muito ocupado em fazer oposição a Jair Bolsonaro.

Othelino, se quisesse, poderia ser este líder. Resta saber se o corporativismo partidário fala mais alto.

Aposto meu diploma como o maior hospital de campanha desse estado, bancado por deputados estaduais e federais, seria levantado em poucas caso todos se unissem para isso sob a batuta de um verdadeiro líder.