Deputada Mical Damasceno, nomeada por Jefferson para presidir PTB no estado, é braço da esquerda no movimento evangélico

Após a expulsão do deputado Pedro Lucas Fernandes da presidência do PTB, o presidente nacional da legenda decidiu entregar a liderança do partido no estado deputada Mical Damasceno. A parlamentar é filha do pastor e líder da Assembleia de Deus, Pedro Aldi Damasceno. Aldi já foi acusado diversas vezes, por membros da própria Assembleia de Deus, de alugar sua fé politicamente em troca de vantagens financeiras. A decisão de Roberto Jefferson de tirar Pedro Lucas da presidência da legenda para quebrar a submissão do partido à esquerda não adiantou em absolutamente nada.

MERCADORES DA FÉ

Apesar do silêncio da mídia e da classe política, Mical Damasceno é fruto das união perigosa entre religião e política que despreza completamente qualquer tipo de fé em Deus. Entre as poucas manifestações que denunciam esta espécie de depravação, há uma Carta de Repúdio divulgada antes das eleições de 2018, de autoria do então presidente Assembleia de Deus em Buriticupu, Anselmo Cardoso de Carvalho. Disse Anselmo na ocasião:

“Está mesmo apoiando politicamente um governador comunista, membro do Partido Comunista do Brasil – PCdoB? Sim, é verdade! Já pensávamos nisto. Só é mais um fracasso na vida espiritual dele (Pedro Aldi)”

“É difícil para ele (Pedro Aldi) rejeitar uma vantagem financeira”.

Ao longo dos seus anos como parlamentar, Mical Damasceno quase nunca usou a tribuna para defender os valores que deveriam, pelo menos teoricamente, nortear a atuação de um político evangélico. A deputada se omite em todas as ocasiões em que a esquerda de sabotar a família e de vilipendiar a fé cristã. Uma vez ou outra faz acenos para a ministra Damares Alves, constantemente atacada pelo governo Flávio Dino (verdadeiro líder espiritual dos Damasceno), para manter as aparências.

O fato é que com Mical Damasceno no comando do PTB o aparelhamento do partido por comunistas (mais uma vez) é inevitável.

A existência desse tipo de político enquanto representante eleita de valores evangélicos é uma espécie de depravação moral da igreja. São eleitos com um discurso que fica muito longe de seus mandatos.

E sua ascensão ao comando do PTB no Maranhão (partido de oposição ao comunismo no Brasil), é coisa completamente inexplicável.

Se realmente está alinhado ao próprio discurso, Roberto Jefferson precisa rever essa situação.   

Relembre a carta que comprova tudo o que aqui foi escrito.

CARTA DE REPÚDIO

AO MANIFESTO DE APOIO DO PR. PEDRO ALDI AO GOVERNADOR COMUNISTA DO MARANHÃO, FLÁVIO DINO.

Quero falar para os que são puramente evangélicos. De vez em quando acontece uma inovação na CEADEMA. Parecem ser coisas carnais e diabólicas.

Não faz muito tempo, um pastor, membro da CEADEMA, casou-se com uma mulher repudiada.

A Bíblia é contra este procedimento, conforme Mateus 19.9. Dos pastores que estavam reunidos, mais da metade concordaram com o casamento anti-bíblico. Só um grupo remanescente não concordou, cerca de 69 pastores. Votar em casamento com repudiado ou repudiada é anti-bíblico. Muitos pastores estavam desviados de Deus nesse dia, preferindo ficar do lado do desobediente e ficar contra a verdade.

Ei povo de Deus! Acorde, antes que seja tarde.

Não faz muito tempo, vários pastores resolveram ficar com suas esposas infiéis a eles e a Deus, e estão no ministério, na CEADEMA, porque a maioria dos pastores presente na reunião, concordaram com os infiéis. Caso se repita a infidelidades delas, não sei como ficam. Talvez eles perdoem novamente.

Os homens parecem serem bons de coração ou tem um coração sujo e não discordam do pecado de suas esposas. Eles acham que tem o remédio, que é o perdão, para não perder a esposa infiel a ele e a Deus.

E o presidente da CEADEMA? Está mesmo apoiando politicamente um governador comunista, membro do Partido Comunista do Brasil – PCdoB? Sim, é verdade! Já pensávamos nisto. Só é mais um fracasso na vida espiritual dele. Ele quis se justificar, dizendo que o Pr. Estevam apoiava politicamente o José Sarney. Porém, quem conhece o José Sarney sabe que ele não era comunista, e na verdade, ele apoiava, mas o José Sarney não era comunista, é diferente daquele que apoia um candidato que é comunista.

Pr. Pedro Aldi tinha vontade de concorrer a um cargo na CGADB. Como o Pr. José Wellington não lhe ofereceu uma vaga de candidatura, então, o Pr. Pedro Aldi se revoltou e se rebelou contra o Pr. José Wellington, apoiando um dos mais rebeldes do Brasil, a saber Samuel Câmara (nisto, ele também não teve o apoio da maioria dos convencionais). O Pr. Samuel terminou perdendo a eleição e saiu da CGADB, levando consigo cerca de 7 mil pastores.

O Pr. Pedro não saiu também porque já tem um cargo na CGADB. Portanto, supõe-se, que já não merece tanta confiança.

Mas foi o Samuel Câmara que facilitou o cargo na CGADB para o Pr. Pedro.

ATENÇÃO! Se o Pr. Pedro perder a presidência da CEADEMA aqui no Maranhão, ele pode receber qualquer convite para ganhar um cargo em outra convenção – provavelmente ele aceite, pois ele tem mania de grandeza – ele é tendente a isto. Ele, Pr. Pedro, já disse que não é político, mas em Viana, tem um político que não tem amizade com ele.

Eu, particularmente, acho que o que falta é ajuda financeira para a família dele. Veja bem! Uma promessa de candidatura, levou ele a apoiar o Samuel Câmara.

É difícil para ele rejeitar uma vantagem financeira. Ele me disse que no tempo em que o Pr. Joacy falou em si candidatar à presidência da CEADEMA, que se o Joacy ganhasse a eleição, ele poderia não ficar na CEADEMA. Hoje, ele se declara apoiar, politicamente, o governador do Maranhão, que é membro do PC do B (Partido Comunista do Brasil). Ele, hoje, está do lado dos comunistas e pode ser também um deles.

Em um país comunista, quem não apoia o governo, é preso, torturado e morto. Mao Tsé-Tung quando foi ditador na China, até o fim da sua vida, matou 77 milhões de compatriotas. E assim também foram os outros países comunistas.

Fidel Castro matou incontáveis milhares para poder se manter no governo; a antiga União Soviética, cerca de 34,5 milhões de pessoas morreram, fora os milhares que foram deportados. No nazismo de Adolf Hitler, pelo menos 6 milhões de judeus e milhões de outras pessoas. Tudo isso para manter o governo assassino no poder.

E entre os elementos que destruíram vidas, está a “santa inquisição” que matou cerca de 2 milhões de pessoas em um período que foi de Leão X a Clemente IX (papas), alguns sanguinários assassinos do catolicismo.

Tudo isso, são coisas que, nós, os verdadeiros evangélicos, repudiamos.

Essa posição do Pr. Pedro Aldi Damasceno, traz indignação à maioria dos membros da CEADEMA.

E, eu, particularmente, demonstro o meu REPÚDIO e INDIGNAÇÃO contra essa posição desagradável.

Pr. Anselmo Cardoso de Carvalho
Pastor Presidente – IEADEB