Após mandar fechar leitos da Covid-19, governo prepara “leitos íntimos” que irão custar cerca de R$ 60 mil cada aos pagadores de impostos

Em plena crise da pandemia e com os números de mortos aumentando, o govenador Flávio Dino dá prosseguimento à construção de 22 cabines de “encontros íntimos” em 11 presídios do Maranhão.

O edital da licitação vergonhosa foi lançado no ano passado, durante o auge da pandemia, o certame foi repercutido nacionalmente, pois o governo estaria destinando a quantia milionária para a construção de cabines íntimas enquanto a pandemia da Covid-19 avançava pelo Maranhão.

A empreiteira Etech Construções foi a vencedora da licitação milionária. Segundo divulgado no Diário Oficial do Estado, o valor do investimento será de R$ 1.318.152,10 milhão, sendo R$ 673.903,14 mil para o lote I e 644.248,96 mil para o lote II.

A construtora, que tem como sócios José Ribamar de Sá Almeida e Mayana Júnia Pereira Almeida, terá 3 meses para concluir as obras nas cidades de São Luís, Itapecuru Mirim, Chapadinha, Caxias, Cururupu, Codó, Pinheiro e Imperatriz.

O contrato foi assinado via a Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (SEAP), que tem como titular Murilo Andrade de Oliveira.

À época, a gestão de Dino afirmou que a execução das obras era “perfeitamente justificável”.

“O Estado do Maranhão está comprometido em modernizar e humanizar as suas unidades prisionais, de modo que as intervenções neste estabelecimento penal sejam de suma importância para a implantação de uma nova realidade no Sistema Penitenciário Estadual. Com as modificações propostas no espaço físico deste estabelecimento penal, a Secretaria de Estado e de Administração Penitenciária garantirá um equipamento prisional dotado das condições humanas, respeitando o princípio da dignidade, direitos fundamentais entre o homem transgressor e seus familiares, assim como, assegurará as condições dignas de trabalho aos funcionários.”