Medicamento produzido em parceria com chineses é o menos eficaz e um das mais caras do mercado

O Instituto Butantan divulgou hoje que a eficácia universal da Coronavac, produzida em parceria com o laboratório chinês Sinovac, ficou em 50,38%. Cada dose da Coronavac custará R$ 55. Os números colocam a vacina do garoto propaganda João Dória como a mais fuleira entre todas as que devem ser disponibilizadas no mercado. Custo elevado e pior eficácia.

Para ter a sua baixa eficiência assegurada, cada pessoa deverá tomar duas doses do medicamento. Ou seja, hipoteticamente, serão gastos R$ 110 por pessoa para atingir 50% de eficiência. Isso tornará a vacina de João Dória a segunda mais cara, com valor abaixo apenas da Moderna, que tem um custo de R$ 133 e eficácia de 94%.

Se o Brasil cedesse a pressão e optasse pela Coronavac, que está mais próxima, seriam gastos cerca de R$ 23 bilhões para vacinar toda a população do país.

Pfizer/BioNTech – 95% de eficácia e custo de R$ 105

Moderna – 94% de eficácia e custo de R$ 133

Sputnik V – 91,4% de eficácia e custo de R$ 55

AstraZeneca/Oxford – 70,4% de eficácia e custo de R$ 12,39