Saída do vereador Fernando Holiday após radicalização do movimento expõe decadência

O vereador paulistano Fernando Holiday (Patriota) está de saída do Movimento Brasil Livre (MBL). O anúncio foi feito por meio de nota divulgada nas redes sociais do vereador ontem (28). A saída de Holiday acontece durante a radicalização do movimento que tem direcionado todas as suas energias para o impeachment do presidente Jair Bolsonaro.  

Oficialmente, as razões apontadas por Holiday são a falta de prioridade dada pelo MBL a duas pautas que o vereador considera fundamentais: a oposição ao aborto e a defesa de causas LGBT. “Estou saindo por razões pessoais, tenho projetos que quero desenvolver que nesse momento que não são prioridade para o momento, de proteção à vida e causas LGBT”, disse Holiday a um blog.

Mesmo não assumindo, provavelmente por questões éticas, Holiday já demonstrou incomodo com algumas atitudes de membros do grupo. O vereador não gostou de ver Renan Santos, coordenador nacional do movimento, atacar o deputado federal Marcel Van Hattem (Novo-RS). Renan Santos, o mais bestial dos membros do movimento ao lado do deputado jacobino Kim Kataguiri, inquiriu Van Hattem por um posicionamento pelo impeachment.

Fernando Holiday, homossexual assumido, foi eleito em 2016 e se reelegeu no ano passado. Em 2022, ao que tudo indica, deve ser candidato a deputado federal.

A saída de Fernando Holiday, indiscutivelmente a maior reserva moral do movimento, revela que a decadência do movimento causada por uma espécie de radicalismo psolista pode ter decretado o fim do MBL.