Baixa adesão da população e agressões contra pessoas que criticaram aglomeração marcaram ato promovido por agitadores do PSTU e PSOL

O primeiro ato em São Luís pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi marcado pela baixa adesão da população e agressões contra pessoas que criticaram a aglomeração. O movimento realizado na tarde desta sexta (23) foi integrado, principalmente, por membros de partidos de extrema esqueça, como PSTU e PSOL.

Mesmo afirmando que uma das pautas era a postura do presidente negacionista em relação à pandemia, os agitadores desrespeitaram as regras de distanciamento social. Muitos deles participaram da ação sem máscara.

Em certa altura do protesto, ao serem criticados por transeuntes que reclamaram da ação, alguns dos agitadores ameaçaram as pessoas que passaram. Em nenhum momento foi notada a presença da política para impedir a aglomeração.

O Ministério Público, que trabalha para incessantemente para impedir o carnaval, também não se manifestou E NÃO IRÁ SE MANIFESTAR sobre o assunto.