Apesar da ditadura iraniana seguir assassinando opositores, Bolsonaro ainda ocupa lugar de “genocida” para imprensa mundial mesmo sem ter derramado uma única gota de sangue após dois anos de mandato.

O jornalista Ruhollah Zam foi enforcado na manhã deste sábado (12) sob a acusação de “corrupção na Terra”. A ação aconteceu após Zam ajudar a inspirar protestos no país em 2017. A notícia foi dada pela televisão estatal iraniana e as agências de notícias IRNA e Nour afirmaram.

O jornalista também foi acusado de “participar da destruição de propriedade, interferir no sistema econômico do país, trabalhar com o governo dos Estados Unidos, espionar para a inteligência francesa e espionar para o serviço de inteligência de um país da região”.

Zam ficou famosos em 2017 ao divulgar os horários dos protestos e dados sobre autoridades. Seu feed de notícias Amad News tinha mais de 1 milhão de seguidores.