Aos poucos deputado vai ocupando espaços e esmagando adversários. O fato é que ser corajoso em um estado de políticos frouxos que não reagem é garantia de sucesso até para o mais desqualificados dos seres.

Duarte Jr tem 33 anos de idade. Possui o maior ativo que alguém pode ter na política, o tempo. Irá disputar muitas eleições, isso é fato. Dado o desenrolar da política recente no estado, em 4, 8 ou 12 anos o advogado Duarte Jr será eleito prefeito da capital. Em 10, 14 ou 18 anos será governador do estado. E muito provavelmente irá esmagar ou subjugar todos os seus adversários ao longo desse percurso sem nenhuma reação.

Não se trata de futurologia, apenas da análise séria e da certeza de que algumas coisas na política são inevitáveis.

A ascensão meteórica no Procon, em que até mesmo os cargos de limpeza eram milimetricamente indicados com vistas a política, foi o início de uma carreira política fadada ao sucesso. Muito mais pela covardia da classe política do que pelos méritos do próprio Duarte, ele está fadado a ser a maior força política do Maranhão.

É inacreditável a passividade com que a classe política do estado assiste o avanço do ex-presidente do Procon. Duarte chamou Rubens Pereira Jr de bandido em várias ocasiões, como resposta teve o apoio do comunista.

A fila de vítimas do jovem político se acumula. Vai desde os também deputados Neto Evangelista, César Pires, Glaubert Cutrim, Wellington do Curso até o finado Zé Gentil. O PDT, maior partido de apoio da do governo Flávio Dino, é foi atacado severamente por Duarte nas eleições. O mesmo sofreu o PCdoB, tratado como “militância bovina”.

O marqueteiro de Duarte Jr, Chico Mendez, assumiu a campanha tecendo os elogios efusivos ao deputado. Logo no início da campanha abandonou o barco acusando-o de ser um psicopata.

Após a derrota na eleição, Duarte Jr nomeou-se maior força do governo. Em fatídica reunião no Palácio dos Leões teve a audácia de dizer, na cara do vice-governador Carlos Brandão, que chegou onde chegou sozinho. Sem a ajuda de Brandão, Duarte não teria sido candidato.

Duarte, que acredita ter deposto o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) como segundo homem mais poderoso no governo, tentou intimar o vereador Paulo Victor (PCDoB) em uma empreitada pela presidência da Câmara de Vereadores mesmo sabedor que a ação resultaria em fracasso. Duarte pretendia transformar a Câmara de Vereadores em uma âncora contra Eduardo Braide. O parlamentar, em uma das raras vezes em que um político não age feito um cagão quando confrontado por Duarte, respondeu ao acinte apoiando o candidato de Eduardo Braide, Osmar Filho (PDT).

Só que a ação de Paulo Victor é isolada. Em todas as vezes enfrenta, ataca, humilha e conspira contra seus adversários, ou ele vence ou é “aliviado”. De tijolo em tijolo Duarte Jr vai construindo uma carreira política fadada ao sucesso.

Duarte Jr é uma galinha dentro da jaula dos leões. Só que a galinha ruge como leão e os leões piam como galinhas.

Ele irá esmagar seus adversários e, na falta de concorrentes e de freio, será eleito prefeito e depois será governador do estado. É questão de tempo.