Documentos da Delegacia de Polícia da cidade desmentem versão da senadora e mostram que supostas prisões não aconteceram.

Segundo documentos da Delegacia de Polícia de Coroatá, a senadora comunista Eliziane Gama (Cidadania) mentiu em sessão do Senado ao falar que magistrada pediu a prisão de um pastor daquele município na noite de terça-feira, 10 de novembro.

Eliziane manifestou-se em sessão nesta quarta-feira (11) para afirmar que a juíza da cidade pediu, arbitrariamente, a prisão do pastor Natanael Diogo Santos e da irmã Rosa Maria Barros Rocha. Segundo depoimento dos três prestado ainda na manhã desta quarta, enquanto Eliziane mentia no Senado, os dois foram apenas conduzidos para assinar termo de compromisso. Muito diferente da “prisão por perseguição religiosa” declarada por Eliziane no Senado.

O caso aconteceu na noite de terça-feira, quando o pastor realizava um culto no centro da cidade. Ao ser questionado pela juíza Anelise Nogueira pela altura do som, o pastor Natanael Diogo dos Santos assumiu que estava incomodando e abaixou o volume em seu depoimento. Em sua companhia estava a irmã/cantora Rosa Maria Barros. Ainda no depoimento os dois afirmam que foram conduzidos até a delegacia para assinar termo de compromisso. Muito diferente da suposta prisão alardeada pela comunista Eliziane Gama.

Abaixo os depoimentos.

42-LCP-FORUM-paginas-excluidas_compressed-1