Gilsinho, que ocupa cargo cargo há dois anos sem ter sido eleito pela categoria, é alvo de denúncias e insatisfação

A gestão do presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET), José Gilson Caldas Neto, está sob suspeita. Após uma série de denúncias, Gilsinho, como é conhecido, começar a enfrentar uma série de reivindicações da categoria.

Gilsinho acumula denúncias e acusações. Entre elas, o envolvimento na compra fraudulenta de créditos de passagens de ônibus. O empresário chegou a assumir sua participação no esquema. 

Inexplicavelmente, Gilsinho não foi eleito para o cargo que ocupa. Ele assumiu a presidência do SET há cerca de dois anos por decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MA) e se perpetuou no poder desde então. A situação de Gilsinho lembra a de governadores na época da ditadura militar, quando estes eram escolhidos pelo regime à revelia da opinião do povo. Eram os chamados “governadores biônicos”.

Como forma de dar um fim à disputa, a categoria decidiu convocar assembleia geral extraordinária para o próximo dia 27 (sexta-feira) a fim de votar a proposta de afastamento do presidente e a imediata formação de uma junta governativa.

Apesar de enfrentar resistência, Gilson Neto não admite que os membros do sindicato voltem a escolher seus representantes e articula uma tentativa de manter-se no cargo.