Campanha de difamação comunista contra adversário de Flávio Dino na capital maranhense está contando com apoio massivo de parte da militância conservadora que defende presidente.

O governador Flávio Dino (PCdoB) vem contando com aliados inusitados na desconstrução do seu grande adversário nas eleições de São Luís, a militância pró-bolsonaro. Nas últimas horas uma série de montagens e notícias falsas contra Eduardo Braide (Podemos) estão sendo compartilhadas em redes sociais por apoiadores do presidente da República. Flávio Dino já entrou pessoalmente na campanha contra Braide e tem gravado vídeos em que o ataca ferozmente.

Em contato com o blog, alguns militantes alegaram que a entrada na campanha de difamação contra Eduardo Braide é pelo fato do candidato do Podemos “não ser de direita”.

Como deputado federal, Eduardo Braide optou por uma postura de independência na Câmara. Hora votando com o governo Bolsonaro, hora não. Para essa militância, e alegria de Flávio Dino, ele só seria “perdoado” se votasse sempre com o Governo Federal. Daí o embarque de alguns na campanha de difamação promovida por Flávio Dino.

Aderiram a uma estratégia que só beneficiará a esquerda porque o inimigo da esquerda não é tão de direita. Vai entender…

Terror comunista

Além de entrar diretamente nas eleições municipais sempre que pode, Flávio Dino indiretamente já deixou claro não tem pudores no uso da máquina do governo para derrotar adversários. No interior do Maranhão já voltam as denúncias do uso da Polícia Militar para espancar e intimidar adversários. Em São Luís a situação não deve ser diferente.

O fato é que a tirania e a sede de poder do governador Flávio Dino, cujo o governo já chegou ao cúmulo de emitir ofícios solicitando a espionagem de adversários, não é novidade alguma. A única coisa louca nessa história é que ele, dessa vez, tenha a ajuda de militantes pró-Bolsonaro no estado que o ajudam no serviço sujo de assassinar a reputação de seus adversários políticos.

Flávio Dino considera Eduardo Braide um inimigo e todo mundo que ataca o candidato do Podemos está, mesmo que negue, à serviço do comunista.

Assim que o comunista afirmou que aceitava a eleição de qualquer um, menos de Braide, o caminho deveria ser óbvio. Só que nem sempre a obviedade é clara para alguns. Eis a verdade.