Jornal de extrema-esquerda entrou no consórcio de fake news promovido por Flávio Dino que tenta manipular mais uma vez eleições em São Luís.

A Justiça determinou que o jornal paulista Folha de São Paulo, veículo do consórcio de nacional de fake news da extrema-esquerda, pare de divulgar a notícia mentirosa veiculada contra o candidato a prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos).

A Folha de São Paulo publicou notícia em sua página afirmando que Eduardo Braide é investigado, mesmo sem apresentar nenhum documento comprovando a afirmação.

“Como afirmei, diferente de meus adversários, a minha vida é limpa. Uma notícia plantada que tem o único objetivo de tentar enganar o eleitor. A verdade, mais uma vez, prevaleceu”, afirmou Braide.

Em seu despacho, a juíza titular da 76ª Zona Eleitoral diz que as afirmações da Folha de São Paulo “não estão embasadas em provas, apenas cita um documento do Ministério Público, mas não o apresenta nem informa onde pode ser consultado”, possuindo assim, num contexto eleitoral muito próximo ao dia da votação, potencial ofensivo de lesar a reputação de Eduardo Braide.

Em caso de descumprimento, a Folha de São Paulo estará sujeita ao pagamento de multa diária no valor de R$ 2.0000,00 (dois mil reais), até o dia das eleições.

“Eu confio em Deus, na Justiça e no povo de São Luís. Ninguém mais cai nessas armadilhas. Vamos vencer no dia 15 com fé, coragem e determinação. Essa é a vontade do povo de São Luís”, concluiu Braide.