Assim como a Carta Capital, jornal paulista é submisso a governo comunista de Flávio Dino e publica mentiras contra adversários

Apesar de certidões de novembro de 2020 que comprovam a ausência de processos ou investigações contra Eduardo Braide (Podemos), a Folha de São Paulo divulgou fake news na edição deste domingo (8) que serve aos propósitos do grupo de Flávio Dino para assassinar a reputação do candidato.

A matéria da Folha foi baseada em um suposto documento de outubro de 2019. Antes da divulgação da reportagem, Eduardo Braide encaminhou à Folha de São Paulo certidões atualizadas de todas as instâncias que não foram citadas na reportagem.

Ao considerar apenas um suposto documento do Ministério Público Federal (MPF), mas sem publicá-lo, a Folha de São Paulo deixou claro que a matéria foi encomendada com o propósito de tentar confundir o eleitor nesta reta final de campanha.

“Essa é a prova clara do desespero que bateu nos meus adversários. Mas para a tristeza deles, reafirmo: não sou investigado”, declarou Braide.

Outro ponto a ser ressaltado é que, por não ter nada a esconder, Eduardo Braide foi um dos três deputados federais maranhenses que votaram a favor da Medida Provisória que mantinha o controle do COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeira) com o Ministério da Justiça, o que facilitaria investigações de toda e qualquer movimentação financeira e, consequentemente, o maior combate à corrupção. Além disso, votou favorável ao Pacote Anticrime que endurece as penas para crimes de corrupção.

“A minha vida é limpa. Sujo é o jogo dos meus adversários”, concluiu Braide.