Contrariando narrativas de “falta de provas”, advogado mostrou uma série de irregularidades que são facilmente constatáveis no processo eleitoral americano.

O advogado Rudy Giuliani mostrou em entrevista na noite deste domingo evidências que podem mudar radicalmente o quadro da eleição presidencial. Ele é o principal nome da equipe de advogados do presidente Donald Trump.

“Na Filadélfia, onde estamos mais à frente, temos cerca de 60 ou 70 testemunhas na Pensilvânia, Filadélfia e em Pittsburgh. Em Pittsburgh, temos observadores que por 24 horas foram mantidos fora da sala ou afastados da sala onde estavam contando as cédulas pelo correio, que, é claro, são cédulas altamente suspeitas”, disse ele.

“Durante esse período, pelo menos 135.000 cédulas foram contadas, nenhuma das quais foi observada por qualquer observador republicano conforme a lei exige”, disse ele.

Giuliani afirmou que pacotes de cédulas de correio chegaram atrasados.

“Parecia que eles estavam tentando compensar a diferença de 700.000 que tiveram na noite da eleição”, disse ele.

Giuliani alegou que outras 300.000 cédulas foram contadas, enquanto nenhum observador do Partido Republicano teve a permissão para assistir.

“Mesmo indo ao tribunal e podendo nos aproximar mais de 2 metros, o pessoal da máquina democrata moveu o local de contagem seis metros para mais longe. Isso está documentado em vídeo”, disse ele.

“Há mais de 50 testemunhas, e este será o assunto de um processo que abriremos amanhã [dia 9] por violação de direitos civis, por conduzir uma eleição injusta, por violar a lei do estado, por tratar Pittsburgh e Filadélfia de forma diferente do resto do estado”, disse Giuliani.

“Isso é algo que apenas precisa ser resolvido”, disse ele.

Giuliani disse que não há como determinar a validade de milhares de votos.

“Estamos agora com 450.000 cédulas definitivas por correio que separaram do envelope, jogaram o envelope fora. Nunca poderemos dizer se são válidas ou não”, disse ele.

Giuliani disse que a campanha analisará se as cédulas foram feitas em nome de pessoas que já morreram, e analisará se há votos retroativos.

“Temos evidências agora, não apenas dos Correios, mas de outros, de que houve datação anterior. Só posso dizer agora que isso equivale a cerca de 2.000 ou 3.000 votos”, disse Giuliani.

“Você acredita que tem o suficiente para realmente mudar o destino da eleição?”, questionou a repórter da Fox News, Bartiromo.

“Bem, acho que temos o suficiente para mudar a Pensilvânia. A eleição da Pensilvânia foi um desastre”, disse Giuliani.

O advogado de Trump disse que, no geral, acredita que até 900.000 cédulas serão contestadas pelas evidências que a campanha acumulou desde o dia da eleição.

Giuliani desconfia de que as cédulas eram mantidas na reserva para o caso de serem necessárias.

Mais tarde na entrevista, Bartiromo perguntou se o Presidente Donald Trump deveria ceder a vitória ao concorrente, após Biden ser declarado “eleito” por várias organizações de mídia.

“Nesse ponto, seria errado ele ceder”, disse Giuliani. “Há fortes evidências de que esta foi uma eleição que em pelo menos três ou quatro estados, e possivelmente em 10, foi roubada.”

“Em outras palavras, foi baseada em votos falsos. Agora, você não pode deixar uma eleição entrar na história sem contestar isso”, completou Giuliani.