Liderança folgada de Eduardo Braide; Duarte Jr e Neto Evangelista no “segundo lugar”; fracasso retumbante de Rubens Pereira Jr e outras circunstâncias.

Pesquisa divulgada IBOPE divulgada ontem pelo Sistema Mirante mostra que Eduardo Braide (Podemos) lidera as intenções de voto pela Prefeitura de São Luís. Como em levantamentos anteriores, ele é seguido por Duarte Jr (Republicanos) e Neto Evangelista (DEM). No terceiro pelotão aparecem Rubens Pereira Jr (PCdoB), Bira do Pindaré (PSB), Jeisael Marx (Rede), Yglésio Moyses (PROS), Franklin Douglas (PSOL) e Hertz Dias (PSTU). Autointitulado representante de Bolsonaro nas eleições, Pastor Silvio Antonio foi o único que não pontou.

No total os “blocos” podem ser divididos em três: Primeiro temos 44% concentrados em um candidato. Depois temos o segundo bloco que abriga 33% entre outros dois. Por último são 14% entre 6 candidatos. E o limbo ocupado por um candidato que não pontuou.

Veja os números e comentários sobre eles.

Eduardo Braide – 44%

O LÍDER 44%

A ida de Eduardo Braide para um possível segundo turno é certa. Caso o IBOPE esteja correto, a perda de 50% dos seus votos nas últimas duas semanas de campanha ainda o deixaria na liderança das eleições. Cairia para 22%, o que garantiria ainda 3% de vantagem sobre o segundo colocado.

Braide ainda pode ser eleito já no primeiro turno. Contando apenas os votos válidos, ele aparece com 49% da preferência do eleitorado. Se crescer mais 2%, não teremos segundo turno.

A situação deve forçar alguns de adversários a intensificar os ataques contra ele.

O DESAFIANTE 33%

Aqui é disputada uma eleição à parte. Segundo a margem de erro de 3 pontos, temos um empate técnico. Duarte Jr pode ter 16% e Neto Evangelista pode chegar aos 17%. Dessa forma, não se pode assegurar quem, na verdade, ocupa hoje a segunda colocação. O mais prudente é colocar os dois no páreo. Somados os dois chegam a 33% das intenções de voto.

Assim como Braide fatalmente será alvo de ataques, os dois também tendem a tornarem-se alvos mútuos. Aliás, no último debate realizado por O Estado e pelo Portal Imirante esta condição foi visivelmente observada.

E um detalhe: no embate direto com Braide o candidato do DEM, Neto Evangelista, saiu-se melhor que Duarte Jr. Enquanto Neto conseguiu protagonizar o único ataque que, aparentemente surtiu efeito em Braide, Duarte Jr foi massacrado pelo candidato do Podemos. Esse acontecimento, apara alguns, mostra que Duarte Jr, pela inexperiência e impetuosidade, não seria um páreo tão duto para Braide quanto Neto, que conta com mais apoios e conhece a política há mais tempo..

O QUE HÁ DE MELHOR E PIOR 14%

O terceiro e último pelotão apresenta o que se tem de melhor e pior na eleição. Yglésio Moyses e Jeisael Marx tem a simpatia de todos os que observam a campanha de forma mais criteriosa. Demonstram conhecimento técnico diferenciado em todas as oportunidades que tiveram. Yglésio tem, disparado, o melhor horário eleitoral gratuito (assunto para outra publicação). Apesar disso, os números mostram que muito dificilmente um dos dois pode virar o jogo.  

Rubens Jr e Silvio Antônio são os grandes fracassados desta eleição. Os dois apostaram que levantar estandartes com fotos de Flávio Dino, Lula e Jair Bolsonaro muito mais do que apresentar propostas e mostrar a si mesmos iria funcionar, não funcionou. O desempenho de Rubens Jr, candidato que tem a maior coligação e apoio direto do governador Flávio Dino, indica que está por vir uma das mais fragorosas derrotas de um candidato do governo nestas eleições.

Detalhe: Rubens Jr tem menos votos do que cinco candidatos que, também juntos, não possuem, nem de longe, 10% de sua estrutura política e financeira.

Sílvio Antônio foi o único que não pontuou

A performance pífia de Silvio Antônio (que não pontuou) serve como alerta para a autointitulada “direita maranhense”: ficar gritando o nome de Jair Bolsonaro não é o bastante para sair do subsolo.

Bira do Pindaré, Franklin Douglas e Hertz Dias fazem campanhas discretas e alcançam 5%.

Os números do terceiro escalão reforçam a tese de que Braide pode ser eleito ainda no primeiro turno. Afinal de contas, é comum a parte do eleitorado a predileção pelo “candidato que vai ganhar”. E nesses 14%, provavelmente apenas os 6% de Rubens Jr são considerados inatingíveis por Braide.

É esperar e aguardar.