Governador do Pará, Hélder Barbalho é acusado de desvios em contratos de mais de R$ 1.2 bilhão na saúde. Hélder é uma grande aliado de Flávio Dino contra Jair Bolsonaro

Aliado de Flávio Dino contra Jair Bolsonaro, o governador do Pará, Hélder Barbalho (MDB), foi alvo na manhã desta terça (29) da Operação S.O.S, da A Polícia Federal (PF). A investigação envolvendo Barbalho e seus assessores investiga supostos desvios em contratos que ultrapassam R$ 1.2 bilhões na saúde. Dois secretários de governo e um assessor do governador foram presos.

Basta uma pesquisa rápida na internet para perceber que o comunista do Maranhão e o governador suspeito de corrupção do Pará são próximos. Os dois já participaram de vários debates sobre a atual situação do país e a pandemia de Covid-19. Em nenhuma delas, no entanto, qualquer um dos dois abordou as denúncias de desvios e roubo de dinheiro público na saúde do qual seus governos são alvo.

Segundo a PF, entre os investigados estão empresários, o operador financeiro do grupo, integrantes da cúpula do governo do Pará, além do governador Hélder Barbalho. Entre os alvos das buscas realizadas nesta manhã está o Palácio do Governo, sede do Executivo do Pará.

Foram presos os membros do governo Parsifal de Jesus Pontes (secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia e ex-secretário da Casa Civil), Antonio de Padua (Secretário de Transportes) e Leonardo Maia Nascimento (assessor de gabinete).

Ao que tudo indica, Flávio Dino e seu secretário de Saúde, Carlos Lula, podem receber a visita da Polícia Federal muito em breve. Desde que Flávio Dino chegou ao poder a saúde do estado se tornou protagonista de uma série de escândalos.

O mais recente deles envolve a compra adiantada de respiradores que nunca foram entregues e resultaram em prejuízos milionários ao povo do Maranhão.

É aguardar e conferir.