Resultado de estudo divulgado pelo IBGE nesta quinta (17) mostra que a fome aumentou no Maranhão após a chegada de Flávio Dino ao governo. Clique e veja os números.

O Maranhão é o estado em que mais se passou fome nos anos de 2017 e 2018, segundo estudo do Instituo Brasileiro e Geografia e Estatística (IBGE). A constatação foi feita em estudo que mede o percentual de domicílios com insegurança alimentar aumentou no Maranhão. O termo é utilizado para caracterizar a falta de acesso regular e permanente à alimentação, em quantidade e qualidade adequadas.

O Maranhão possuía 66,2 % de seus domicílios dentro do percentual de Insegurança Alimentar em 2017 e 2018. Em 2013, penúltimo ano de gestão da ex-governadora Roseana Sarney, quando o IBGE havia medido o índice pela última vez, o percentual era de 50,8%.

O índice total de Insegurança Alimentar é formado por Insegurança Alimentar Leve (IAL) e Insegurança Alimentar Grave (IAG).

Em 2013 o IAL era de 37,1% e o IAG de 23,7.

Em 2017 e 2018 o IAL diminuiu para 35,2 e o IAG subiu para 30,9.

Ou seja: segundo o IBGE, a fome no Maranhão aumentou com o governador Flávio Dino.

Confira os principais dados divulgados nesta quinta (17) pelo IBGE abaixo.

Em-662-dos-domicilios-maranhenses-havia-quadro-de-inseguranca-alimentar