Extrena

Extrema-imprensa tenta criar discórdia no governo de Jair Bolsonaro porque Secretaria Nacional do Consumidor quer informação sobre aumento de preço

Segundo a Folha de São Paulo membros liberais do Ministério da Economia e membros da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) estão em rota de colisão. “Assessores ministeriais” ouvidos pelo jornal afirmam que a notificação a supermercados e produtores sobre o aumento do preço dos alimentos da a explicar aumento dos preços na cesta básica desagradou os liberais do governo.

Busca de informações sobre preços por órgão de defesa do consumidor “contraria viés liberal” segundo “especialistas” da Folha de São Paulo

Notificar, no sentindo empregado, significa dar conhecimento, comunicar algo a alguém ou a alguma instituição. Não há o menor movimento de intervenção do governo. Até mesmo pelo simples fato de que a Senacon não dispõe de absolutamente nenhum mecanismo de intervenção no mercado. Sua função é de defender direitos consumidor.   

Só faltou à Folha publicar uma frase do tipo. “Como assim um órgão ligado à defesa do consumidor quer informações sobre aumento abrupto de alimentos?”, teria dito Paulo Guedes enquanto cuspia em uma foto de Jair Bolsonaro.

Tentar plantar uma rusga dentro do governo afirmando que a turma de Paulo Guedes está “culpando” a Senacon por fazer seu trabalho apenas escancara o mau-caratismo da extrema imprensa.