Comunista é acusado de roubar autoria de projeto de deputado da base do governo

A indiscutível agonia do deputado federal Rubens Jr (PCdoB) na pré-campanha pela Prefeitura de São Luís, pelo menos aparentemente, começa a resvalar em aliados. Nesta semana o deputado estadual Yglésio Moyses (PROS) usou suas redes sociais para denunciar o que, sem firulas ou floreios, foi um roubo de projeto pelo comunista.

Yglésio, que também é pré-candidato, é aliado do governo na Assembléia. Daí a estranheza na “bala perdida” (será mesmo?).

Não é novidade para ninguém minimamente informado que a candidatura de Rubens Jr flerta com a possibilidade de se tornar um dos maiores desacertos da história política da capital. Ocupando os últimos lugares nas pesquisas, apontado como incapaz de reagir e apelando para uma pré-campanha circense, Rubens Jr parece entregar-se a certo desespero que tem em Yglésio a primeira vítima de uma fila que deve ser longa.

As pesquisas mostram que entre Rubens Jr (nos últimos lugares) e Eduardo Braide (primeiro colocado) há um abismo formado, em sua maioria, por aliados do governador Flávio Dino.

Levando-se em conta que reza a cartilha política de que “apanha quem está acima e mais próximo”, não é difícil prever que Neto Evangelista (DEM), Duarte Jr (PRTB), Bira do Pindaré (PSB), Carlos Madeira (Solidariedade) e o próprio Yglésio irão ser alvos preferencias de Rubens Jr no início da campanha.

E mais fácil ainda é prever que a obsessão por essa aventura pode aposentar um político jovem que poderia, desde que com paciência e humildade, torna-se opção para a população de São Luís.

Mantendo essa candidatura esdrúxula, diminuindo as chances do governo, criando rusgas entre aliados e não tendo humildade para “abrir” em nome de um projeto coletivo mais viável, Rubens Jr apenas aposentará compulsoriamente uma carreira que poderia ser promissora.