Modelo de gestão proposto por Orlando Silva, pré-candidato do PCdoB, resultou em sumiço de R$ 1 bilhão no fundo de aposentadorias dos servidores do Maranhão

O deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP), pré-candidato a prefeito em São Paulo, afirmou que pretende adotar um modelo de gestão que possivelmente deve incidir na dilapidação do fundo de pensão e aposentadoria na capital paulista.

Em recente entrevista ao jornal Folha de São Paulo, Orlando Silva afirmou:

Um governo comunista é como o do Maranhão, que o Flávio Dino [PC do B] faz. Quero governar São Paulo inspirado em Flávio Dino

Deputado federal orlando silva, pré-candidato a prefeito de são paulo

Entre 2015 e 2020 o governador comunista maranhense simplesmente sumiu com R$ 1 bilhão do Fundo Especial de Pensão e Aposentadoria dos Servidores do Estado (FEPA).

Quando assumiu o governo maranhense, Dino encontrou cerca de R$ 1.3 bilhão no fundo que fora tornado superavitário por sua antecessora, Roseana Sarney.

Passados quase 6 anos do modelo comunista de gestão que Orlando Silva pretende implantar em São Paulo caso seja eleito, o FEPA tornou-se deficitário e o futuro das pensões e aposentadorias de milhares de servidores corre risco no Maranhão.