Desqualificado, Carlos Lula faz piada com pandemia que já matou mais de 400 mil pessoas e demonstra ser um completo ignorante em relação a péssimas condições sanitárias na China causadas pelo comunismo que ele defende

Secretário de Saúde em um dos estados mais afetados pela pandemia, apontado como incapaz e inexperiente para assumir o cargo, o advogado Carlos Eduardo Lula usou suas redes sociais para debochar do coronavírus.

Segundo Carlos Lula, que até 2016 nunca tinha ocupado qualquer cargo de gestão ou ligação com a área da saúde, o coronavírus veio da “sopa de morcego”. O tom de ironia e galhofa, aparentemente despreocupado, contrasta com o fato do Maranhão ocupar os piores lugares no ranking de enfrentamento da pandemia e denúncias de desvios em várias cidades do estado.

Carlos Lula é secretário de saúde em um dos últimos estados a ser atingido pela pandemia, o primeiro a decretar lockdown e, mesmo assim, está entre os cinco piores estados em relação TODOS os números negativos da pandemia.

O escárnio do secretário de saúde também carrega consigo certa ignorância. As condições sanitárias na China que forçam centenas de milhões de pessoas são um problema grave e nem um pouco engraçado.

Os chineses foram obrigados a cultivar hábitos alimentares perigosos, como o consumo de animais silvestres, após mais de 45 milhões de chineses morrerem de fome entre 1958 e 1962.

Por ordem do regime comunista do país, toda a produção de grãos do país era confiscada pelo governo. Os alimentos então eram distribuídos apenas aos cidadãos alinhados ao governo.

O livro “A grande fome de Mao – A história da catástrofe mais devastadora da China” (que com absoluta certeza nunca foi e nunca será lido por um bufão da marca de Carlos Lula), relata que a fome provocada pelo regime comunista fez chineses comerem até mesmo corpos de parentes mortos. Ratos e animais silvestres, como ursos e crocodilos, começaram a integrar alguns hábitos alimentares que persistem até hoje.

Além de infame, a piada de Carlos Lula apenas revela o quão desqualificado e inculto é o secretário de saúde do Maranhão.