Policiais federais realizaram operação na manhã desta terça (9) para desmantelar associação criminosa suspeita de que superfaturar equipamentos usados contra pandemia

De acordo com investigações da Polícia Federal e da Controladoria Geral da União (CGU), empresários e membros da Secretaria Municipal de Saúde de São Luís (SEMUS) são suspeitos de superfaturar em 241,38% a compra de máscaras para a luta contra a Covid-19. Equipamentos que, segundo as investigações, deveriam custar R$ 2,90 foram adquiridos por R$ 9,90.

A Polícia denominou o grupo como associação criminosa. Ainda segundo as investigações, o prejuízo aos pagadores de impostos foi de R$ 2,3 milhões.

Documentos mostram que poucos dias antes do processo de dispensa de licitação que adquiriu máscaras por R$ 9,90, a Prefeitura de São Luís comprou máscaras do mesmo modelo junto a outra empresa por R$ 2,90 a unidade.

Foram cumpridos três mandados de prisão, 14 de busca e apreensão, além do sequestro de bens e bloqueio de contas dos investigados.