Douglas Martins usou suas redes para incentivar o uso da violência em atos terroristas contra estabelecimentos da capital maranhense

Sob o pretexto de enfrentar o racismo, o juiz Douglas Martins (conhecido como o juiz do lockdown fracassado) fez publicações em suas redes sociais que incentivam ataques violentos. Segundo o magistrado, “alguns só entendem a linguagem da violência”. A publicação mostra prédios sendo incendiados e protestos violentos.

Martins disfarça o discurso de incentivo à violência com mensagens de cunho político ameno. Contudo, fica escancarada a posição de apoio do juiz a atos de vandalismo e violência como “reação política”

A série de cinco imagens publicada no Instagram do juiz traz uma peça em que um prédio é completamente tomado pelo fogo. “Na falta de reação adequada do sistema…” O conjunto de frases e imagens justificam os ataques.

O juiz que hoje incentiva ataques terroristas em São Luís é o mesmo que proibiu uma carreata pacífica em apoio ao presidente Jair Bolsonaro semanas atrás. Douglas Martins demorou três horas e meia para decidir pelo bloqueio da carreata.

Na mesa do juiz repousa há três dias uma petição que solicita que as mesmas medidas tomadas contra bolsonaristas sejam tomadas contra o grupo que planejava atear fogo em escolas, shoppings, restaurantes e bancos.

O comportamento de Douglas Martins deixa evidenciada a triste constatação de que não há mais na Vara de Interesses Difusos um magistrado, mas um militante esquerdista disposto a estuprar a Constituição se preciso for.

Aliás, Douglas Martins cospe na cara dos membros do Conselho Nacional de Justiça ao manifestar suas posições políticas em redes sociais mesmo após o CNJ proibir este tipo de comportamento ainda no ano passado.