Prefeito de São Luís não é citado em decisão que resultou em prisões, busca e apreensão, quebra de sigilo bancário e telefônico. Edivaldo também não foi convocado para depoimentos.

Nos últimos dias eclodiram ações contra governadores, secretários, prefeitos e empresários suspeitos de integrar o esquema de desvios batizados de Covidão. Em São Luís a Polícia Federal desencadeou a operação Cobiça Fatal. Ao contrário do que foi noticiado em alguns blogs, o prefeito Edivaldo Holanda Jr não foi alvo do inquérito e, pelo menos até o momento, não recaem sobre ele nenhuma suspeita de participação no esquema que resultou na prisão de três empresários e mandados de busca e apreensão em empresas.

Os fatos:

1º – É prática da Polícia Federal solicitar mandados de prisão e/ou busca e apreensão ou depoimentos dos cabeças das quadrilhas logo na primeira etapa das operações.

2º – Na quarta (10) o governador do Pará, Hélder Barbalho, foi alvo de busca e apreensão em sua residência. O mesmo aconteceu com o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, que também teve sua casa vasculhada por agentes. Esses dois fatos, entre vários outros, demonstram que a PF tem sido implacável com gestores públicos nas operações contra a Covid-19. 

3º – Edivaldo Holanda Jr não foi alvo de nenhum mandado e nem mesmo solicitação de depoimento.

4º – A decisão do juiz Luiz Regis Bomfim Filho decidiu prisões temporárias, quebra de sigilo bancário e fiscal, busca e apreensão, quebra de sigilo telefônico e bloqueio de bens. Os funcionários da prefeitura envolvidos foram: Luiz Carlos De Assunção Lula Filho, Andreia Dos Santos Marão, Nalva Cristina Campos Dos Santos e Silvia Giselle Soares Pinto.

Além deles também foram alvo as pessoas físicas: Alexandre Chuairy Cunha, Andreia Dos Santos Marão, João Antonio Martins Bringel, João De Deus Souza Lima Junior, Lucia Maria Chuairy Cunha, Maria Do Socorro Salazar Sousa, Marilson Oliveira Raposo, Miguel Arcangelo Pereira Raposo, Pedro De Moura Neto, Sormane Silva Santana, Terezinha De Jesus Silva De Sousa e Vitor Viana Pereira Brandão.

As entidades jurídicas citadas na decisão: C. J. Comércio Saneantes Ltda, Global Diagnósticos Ltda-Me, Pleno Distribuidora Ltda, Precision Soluções Em Diagnosticos Ltda, Secretaria Municipal De Saúde De São Luís/Ma e Almoxarifado Da Secretaria De Saúde De São Luís/Ma. Os fatos e documentos revelam que a notícia da possível prisão do prefeito Edivaldo Holanda Jr não passa de especulação.

Abaixo a decisão completa do juiz Luis Regis Bomfim em que não consta nenhuma citação ao prefeito.

1023376-87.2020.4.01.3700_243849896