Postura de polícia cidadã da PM pode salvar lockdown da falta de planejamento e competência de seus idealizadores.

O vídeo nonsense de um corredor na manhã desta terça (5) sendo interceptado por policiais militares na Litorânea foi um momento de descontração em meio a tanta tristeza e desespero. Contudo, a situação pode esconder muito mais do que se vê e pode estar ali a chave do sucesso para o lockdown armado por Flávio Dino e assumido por Douglas Martins.

A ação cortês dos policiais transformou o corredor em um boboca. Nas redes sociais sua atitude transloucada é ridicularizada por TODOS e a ação dos policiais é elevada de forma unânime. Algo muito difícil de acontecer em tempos de polarização.

No entanto, se algum dos policiais tivesse perdido a paciência (afinal de contas, mesmo que de forma cômica, ele enfrentou a autoridade policial) e usado a força, imobilizado, algemado ou agredido aquele bobão, a opinião pública hoje estaria CONTRA os policiais.

E não duvidem que muita gente do Palácio dos Leões e no Judiciário, inclusive o próprio governador, iria festejar o espacamento e prisão de uma pessoa que como único delito aparente trata-se de um sem-noção.

Se tivesse sido assim, o paspalhão de hoje, que serve como símbolo para a falta de noção em meio à pandemia, possivelmente seria uma vítima indefesa de policiais maldosos.

A tolerância daqueles policiais criou um farol para essa baboseira de lockdown feita nas coxas de forma irresponsável.

Tratar bem as pessoas e evitar confronto ao máximo é a melhor forma de transformar esse lockdown no que ele deve ser: um ato de preocupação do governador, não de tirania.  

E aos homens e mulheres que vestem a farda eu deixo o aviso: não permitam que nenhum maluco como esse da Litorânea, ou valentão (e eles irão aparecer), transformem vocês em símbolo de agressão.

NÃO ALGEMEM NINGUÉM! NÃO CONDUZAM NINGUÉM! Mandem voltar para casa, batam palmas e mandem circular, dar meia volta e pronto!