“Agora esses são os parâmetros de Deus”, disse o pastor no sermão.

Stacey Shiflett, líder da igreja Calvary Baptist Church, na cidade de Baltimore, no estado americano de Maryland, rasgou, à frente de aproximadamente cem fiéis que estavam presentes no culto da última quinta-feira, uma notificação do município depois que as autoridades locais ameaçaram uma multa de US $ 5.000 no início da semana, por manter cultos presenciais.

“Agora esses são os parâmetros de Deus”, disse o pastor no sermão. “Então, eu estou rasgando essa ordem de cessar e desistir aqui, e estou lhe dizendo agora que faremos do jeito de Deus! Deus nos diz como adorá-Lo, ninguém mais pode fazer isso.”

O prefeito de Baltimore, Jack Young, estendeu as ordens de permanência em casa, limitando as reuniões públicas, incluindo espiritual e religiosa, a não mais que 10 pessoas, informou a Fox News.

Em entrevista à Fox, Stacey disse que “ou temos liberdade para adorar ou temos permissão para adorar. Tornou-se bastante claro que, se aceitarmos a permissão, nunca mais teremos liberdade.”

Comentando o caso, David Gibbs, conselheiro legal da Calvary Baptist Church, disse que “se o Walmart está aberto, é hora de as igrejas estarem abertas também.”

O pastor Stacey Shiflett afirmou que não pretende se ajoelhar às restrições que praticamente inviabilizam a abertura de sua igreja. “Eu não pretendo fechar a igreja. Se eles nos multarem, eu não vou pagar. É inconstitucional. Eles não têm argumentos.”