Governador comunista considerou crime uma simples nota de apoio ao general Augusto Heleno.

O governador do Maranhão, o comunista Flávio Dino (PCdoB), convocou o Ministério Público Federal a instaurar ação penal contra 90 oficiais da reserva que declararam apoio a nota do general Heleno, ministro chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

Para o comunista, todos que assinaram o manifesto deveriam ser processados penalmente pelo Ministério Público Federal em ação penal.

A nota dos militares foi lançada depois de Heleno falar em “consequências imprevisíveis” caso o presidente Jair Bolsonaro seja obrigado a entregar seu celular em decisão monocrática do ministro Celso de Mello.