Documentos e decisões judiciais mostram que ex-presidente usou o FBI para falsificar dossiê que foi usado em investigação e quase resulta no impeachment de Donald Trump

O ex-presidente Barack Obama está envolvido em um escândalo que pode levá-lo à prisão. Segundo informações oficiais, o ex-presidente teria utilizado o FBI para forjar provas contra Donald Trump.

A conspiração começou quando Barack Obama, ainda presidente, foi informado de que um informante do FBI teria interceptado uma ligação telefônica entre o ex-conselheiro de Segurança Nacional, Michael Flynn, e o diplomata russo Sergey Kislyak.

Obama enxergou a possibilidade de prejudicar Trump e convocou uma reunião com a presença da vice-procuradora da época, Sally Yates, e do diretor do FBI, James Comey, para conversar sobre a suposto auxílio de presidente da Rússia, Vladimir Putin, na vitória eleitoral de Trump.

Após três anos de investigação o inquérito foi arquivado por falta de provas. Na semana passada documentos do FBI entregues ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos demonstraram que toda a operação exigida por Obama foram baseados em informações falsas. O suposto telefonema de 2016 nada tinha a ver com interferências eleitorais.

Ainda na semana passada o Tribunal dos Estados Unidos retirou as acusações criminais contra o ex-conselheiro de Segurança Nacional, Michael Flynn, e agravaram ainda mais a situação de Obama.

Sidney Powell, advogada do ex-conselheiro, concedeu entrevista no último domingo, 9, e afirmou que Flynn estava sofrendo conspiração por parte de Obama e seu equipe.

“Obama estava numa conspiração para enquadrar meu cliente. […] A coisa toda foi orquestrada e montada dentro do FBI”, acusou Powell.

O caso envolvendo o ex-presidente pode se tornar o maior escândalo político da história dos EUA. Hoje o posto é ocupado pelo “Watergate”. Em 1972 a sede do Comitê Nacional Democrata fora assaltada durante a campanha eleitoral. Naquele ano Richard Nixon (Republicanos) obteve uma vitória esmagadora contra George McGovern (Democratas).

Durante a investigação oficial que se seguiu ficou comprovado que os criminosos agiram com o conhecimento de Nixon. Ele renunciou à presidência e foi substituído pelo vice Gerald Ford. Nixon só caiu graças a denúncias feitas pelo o ex-vice-presidente do FBI, W. Mark Felt. Ele ficou conhecido na época pelo codinome de Garganta Profunda.

O caso envolvendo Barack Obama é ainda mais ruidoso do que o de Nixon, pois o ex-presidente teria utilizado o próprio FBI para conspirar contra adversários.

Por muito menos Jair Bolsonaro se tornou notícia no mundo inteiro ao ser acusado pelo ex-ministro Sergio Moro de querer “interferir” na Polícia Federal. Caso que, ao contrário de Obama, a cada depoimento vem sendo fragorosamente desmentido pelos fatos e depoimentos.