Escândalos de corrupção, barbeiragens, sumiço de R$ 1 bilhão e até um suicídio recaem sobre “equipe exemplar” do governador comunista

Nas últimas horas o governador Flávio Dino transformou-se de especialista na montagem de equipes de governo. Quem observa o comportamento do comunista no Twitter, sequer imagina as barbaridades que se encontra na equipe que hoje comandam as políticas públicas do Maranhão.

O secretariado do governador Flávio Dino é formado em sua maioria por graduados em Direito. Há advogados nos esportes, casa civil, educação e em mais uma série de outras secretarias. A maioria absoluta entrou no governo sem ter experiência passada.

A infraestrutura do estado que sofre tantas críticas, abriga o ex-vendedor de plano de saúde, Clayton Noleto. Aliás, coube a Noleto um dos maiores fiascos da administração comunista. Inaugurada no início de 2019 a um custo de R$ 12 milhões, a MA-315 literalmente derreteu dois meses depois. Noleto segue firme no cargo.

 Lílian Guimarães esteve à frente da Secretaria da Gestão, Patrimônio e Assistência dos Servidores (Segep). Durante sua gestão, cerca de R$ 1 bilhão de reais foram sacados do Fundo Especial de Pensão e Aposentadorias Servidors do Estado (FEPA). Lilian foi exonerada… depois readmitida na, acreditem, Secretaria de Transparência e Controle.  

O secretário de Saúde, Carlos Lula, foi flagrado por grampos da Polícia Federal em 2015 (primeiro ano de mandato de Flávio Dino) em que tomava conhecimento de um esquema que desviou R$ 18 milhões de reais dos cofres públicos. O escândalo culminou com o suicídio de Mariano de Castro Silva. Em carta suicida, ele confessou que participava de uma quadrilha de roubo de dinheiro público na secretaria. Mesmo investigado pela PF, Carlos Lula segue no cargo.

Além de advogados e vendedor de plano de saúde, o secretariado do comunista abriga latifundiário, uma dezena de políticos nomeados para “abrir mandato”, carregadore de bandeiras do PCdoB e até mesmo um delegado sem experiência pregressa na Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos.

Que moral Flávio Dino tem para dar pitaco em equipe de governo alheia?