Crítico da gestão Bolsonaro e sempre disposto a “dar aula” de gestão pública, comunista promoveu rombo de R$ 2 bilhões na previdência do estado em 2 anos

Crítico da Reforma da Previdência e sempre disposto a “dar dicas” sobre a administração federal, o governador comunista deve entrar para a história como o responsável pelo maior desastre na Previdência Social dos funcionários estaduais em todos os tempos. Reportagem de O Estado do Maranhão desta segunda (9) traz números que apontam um déficit de R$ 1 bilhão no setor APENAS EM 2019.

E antes que algum canalha fale de fake news, sarneísmo, perseguição ou bolsonarismo, vale ressaltar que os números constam no “Relatório Resumido de Execução Orçamentária”, que tem como foco estados e distrito federal. O valor corresponde ao rombo de R$ 377 milhões do chamado “Plano Previdenciário”, somado ao de R$ 628 milhões do “Plano Financeiro”.

No ano anterior, o rombo nas contas previdenciárias do Maranhão promovido pela gestão comunista também girou entorno de R$ 1 bilhão. Ou seja: os últimos dois anos de gestão de Flávio Dino representaram, só na previdência estadual, um rombo de R$ 2 BILHÕES.

Dados comparativos revelam o clima de destruição promovido por Flávio Dino no setor. Toda a dívida consolidada do Governo do Estado em TODOS OS TEMPOS chega a R$ 7 bilhões. Logo, o desastre comunista na previdência social em 2018 e 2019 representa cerca de 30 % de todas as dívidas atuais do governo.

Agora a ironia da história: não fosse pela Reforma da Previdência de Jair Bolsonaro, em 2022, último ano do governo Flávio Dino (PCdoB), o déficit acumulado da Previdência estadual seria de mais R$ 5,4 bilhões no “Plano Previdenciário”.

Todas as vezes que ver Flávio Dino tentando “dar aula de gestão”, lembre-se destes números.